União Desportiva Vilafranquense, Futebol SAD

Filipe Gouveia, treinador principal da UD Vilafranquense, analisou o empate diante do Leixões SC por 1-1. O técnico de 48 anos abordou algumas situações do encontro, referindo que fica o “sabor amargo” quanto ao lance de Nenê que podia ter aumentado a vantagem dos unionistas

“Fizemos uma primeira parte boa, onde tivemos as melhores ocasiões. Sabíamos que vínhamos jogar contra uma equipa motivada, que vinha de três vitórias seguidas e nós de duas derrotas da maneira em que elas aconteceram. Não sou um treinador defensivo. Quem me conhece sabe que sou um treinador de ataque, mas, por vezes, os próprios jogadores perante o que aconteceu agora nos últimos minutos e também na semana passada, acabam por recuar no campo, não sendo essa a minha intenção. Fizemos um bom jogo frente a uma grande equipa, muito forte nos lances de bola parada e foi aí que criaram bastante perigo. Quando estamos a ganhar 0-1, o Nenê atira uma bola ao poste e podia ter matado o jogo. Está a faltar-nos a estrelinha da sorte, mas noutras alturas também já a tivemos. Fica sempre aquele gosto amargo desse lance porque se o Nenê faz o 0-2, dava sempre outra tranquilidade à equipa”, chutou.

O mister deixou ainda uma mensagem a todo o grupo de trabalho e não poupou nos elogios aos seus jogadores.

“Mais uma vez, dar os parabéns a todo o grupo de trabalho. Os jogadores têm sido fantásticos. Têm sido um grupo muito coesa desde a chegada desta equipa técnica. Hoje trabalharam no limite, quer os jogadores que jogaram de início, quer os jogadores que entraram”, acrescentou.

O próximo jogo está marcado para o próximo domingo, às 20h30, no Estádio Municipal de Rio Maior, frente ao Varzim SC.

Março 14, 2022

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *