União Desportiva Vilafranquense, Futebol SAD

União Desportiva Vilafranquense saiu derrotada do ‘Inferno de São Luís’, pondo, assim, um ponto final na série de vitórias que atravessava.


Era esperada uma manhã de sol em Faro (ou não estivéssemos a falar dos últimos episódios de calor, no sempre prazeroso Algarve), ainda para mais quando o prato forte do dia era o confronto entre o invencível Farense e a cavalgante União.

O Nosso Onze Inicial

Nos últimos seis encontros entre ambos os conjuntos o saldo era favorável à formação Algarvia (4 vitórias e 2 empates). Mas nada que assustasse o Maior do Ribatejo, que se apresentou em campo com os mesmos 11 titulares que estiveram na génese do último triunfo, em Rio Maior, diante do Benfica B. Já do lado Algarvio, o destaque foi para a renovação do meio campo, com as entradas de Velasquez, Diogo Paulo e Vítor Gonçalves, em relação ao último encontro.

Foi com as bancadas bem compostas que o árbitro Gustavo Correia fez soar o primeiro apito da partida, e, assim, deu início a um jogo onde não faltou intensidade desde o minuto inicial. Começou melhor o Farense, a colher os frutos de uma pressão mais alta para ‘agredir’ de imediato a defensiva do Vilafranquense e a fazer soar os alarmes na baliza Ribatejana. Ora John Velasquez, endiabrado pelo corredor central do meio campo, ora Vasco Lopes, com intimidantes remates à entrada da área, deram trabalho nos primeiros minutos, onde não faltaram intervenções seguras de Pedro Trigueira.

À passagem do primeiro quarto de hora de jogo a União começou a soltar-se, conseguindo algumas, ainda que tímidas, aproximações à baliza contrária. O cenário de jogo partido favorecia a equipa da casa, sempre veloz e desafiadora no contragolpe, mas foi mesmo a equipa orientada por Rui Borges a passar para a frente do marcador, após um desenho ofensivo que só teve fim após o cabeceamento certeiro do inevitável Nenê. O experiente avançado somou o seu quarto golo nos últimos três encontros, e já leva cinco tentos apontados nesta edição da Liga Sabseg. Com o final da primeira parte a chegar houve tempo para o infortúnio. Pedro Trigueira tenta alcançar uma bola pelo ar e acaba por cair mal. O atleta saiu de maca e deu lugar ao estreante Fábio Duarte, que fechou a baliza no que restou jogar do primeiro tempo.

A entrada para os segundos 45 minutos haveria de apresentar um Farense mais intenso nas ações ofensivas. E foi dessa forma que os Leões de Faro alcançaram o empate, numa jogada de insistência dentro de área. Embalados pelo apoio dos seus adeptos, os jogadores do Farense surgiram galvanizados (e com as fileiras renovadas), dando que fazer na frente de ataque. Num desses lances, perda de bola do Vilafranquense em zona recuada e Rui Costa, servido por Marcos Paulo, consumou a reviravolta no marcador. Poucos minutos volvidos, novo infortúnio para a equipa que viajou de Vila Franca de Xira, com Anthony a ver cartão vermelho direto.

Fair-Play Os momentos que antecederam o início da partida foram vividos com respeito e amizade (Foto: UD Vilafranquense Futebol SAD)

O Próximo desafio da União Desportiva Vilafraquense está agendado para o próximo dia 2 de outubro, na visita ao Juventude Sport Clube, num encontro a contar para a 2ª Eliminatória da Taça de Portugal.

Farense | Nenê

Setembro 18, 2022
Tags: ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *